quarta-feira, 3 de março de 2010

Camisas Históricas - O Tetra Tri (1999, 2000 e 2001)

O quarto tricampeonato do Flamengo foi todo em cima do maior rival, o Vasco. Nos três anos os vascaínos chegavam à final com todo o favoritismo, mas a raça em campo e a torcida nas arquibancadas levaram o Fla à uma série de títulos sobre o time da colina, não encerrada até hoje.

A história do tetra tri começou em 1999. Na época, as estrelas do time do Flamengo eram Romário e Athirson. Após um empate em 1 X 1 no primeiro jogo, o título estava nas mãos do Vasco até os 32 minutos do segundo tempo, quando Rodrigo Mendes acertou uma cobrança de falta rasteira no canto de Carlos Germano.

Em 2000, com Romário trocara de lado, mas a tarefa foi facilitada pelo show de Athirson no primeiro jogo da final. Na ocasião o time da Gávea venceu por 3 x 0. No segundo jogo, o Flamengo cozinhou a partida e acabou vencendo por 2 x 1. O bicampeonato vingou a derrota por 5 x 1 na Taça Guanabara, que dava amplo favoritismo ao Vasco . Pelo segundo ano consecutivo a nação sorria por último e melhor.

A camisa usada nos dois primeiros títulos foi a última da Umbro como fornecedora de material esportivo do Flamengo. Esse modelo foi um dos mais bonitos da era Umbro, apesar da ausência de uma listra nas costas, fato inédito no manto até então. Mas após vários modelos que abusavam de degradês e texturas de gosto duvidosos (1996 até 1998), essa camisa resgatou a beleza do uniforme rubro-negro. Ela ainda vestiu o time na conquista da Mercosul 99, diante do Palmeiras.

O tri viria em 2001, e para ser a cereja do bolo, foi o mais sofrido e por consequência o mais comemorado e com um sabor especial. A nação aguardava desde 1979 por um tri, e por isso foi maioria no Maraca. Mas o Vasco tinha vantagem teórica, por ter ganho muitos títulos no final do ano anterior, e na prática, porque jogava por dois resultados iguais, como o time de melhor campanha. Para piorar o panorama para o lado rubro-negro, o Vasco venceu o primeiro jogo da final por 2 x 1, o que obrigava o Flamengo a ganhar por uma diferença de dois gols.

No jogo derradeiro, o Flamengo até começou bem fazendo um gol de pênalti com o capetinha Edílson, mas o primeiro tempo terminou empatado. Na segunda etapa, em uma jogada gênial da dupla de desafetos, Pet e Edílson, o Flamengo rapidamente abriu frente no placar, mas o sofrimento durou até o finalzinho do jogo. Com o time todo se lançando ao ataque, o atual melhor goleiro do mundo, Júlio Cesár (uma jovem promessa na época) foi um verdadeiro herói ao parar todos os contra-ataques do rival. O jogador já havia operado verdadeiros milagres na etapa inicial. Mas foi somente aos 43 minutos que o verdadeiro personagem do título foi revelado, Petkovic executou uma cobrança de falta perfeita, no ângulo de Hélton. O gol causou uma explosão no lado rubro-negro do Maracanã e calou pela terceira vez seguida o lado vascaíno.

A camisa utilizada nesse ano foi a primeira da parceria Flanmengo e Nike. O modelo primava pela simplicidade, com gola careca e mangas todas pretas. A camisa trazia uma novidade para a época, tecido dri-fit nas mangas e laterais. Ainda havia um elemento inédito para a camisa número um, ela estampava pela primeira vez o escudo todo do Flamengo, ao invés do convencional CRF, que só retornaria em 2005.








Esse post atende a pedidos do Felipe e do Guilherme, em breve postarei mais camisas solicitadas por eles, para ilustrar mais um pouco a história do manto.

3 comentários:

Felipe Ribeiro de Sousa disse...

Bom,estou muito grato por ter postado a camisa de 2001,e por ter incrementado as camisas da umbro,para o amigo Guilherme,e espeque que muito em breve,possa usufrar das camisas da copa do brasil,e as camisas da era umbro.
Felipe Ribeiro de Sousa,do blog Tudo Sobre o Flamengo

Guilherme disse...

Idênticas! Show! Valeu!

http:// jvpes.blogspot.com disse...

CAMISETA DO FLAMENGO FEITA PELA NIKE!