quinta-feira, 3 de julho de 2008

Reconhecimento

Torci pela LDU na final que se encerrou a pouco, porém é preciso reconhecer que o Fluminense foi o time que apresentou o melhor futebol na Libertadores 2008. O time das Laranjeiras fez três jogos fantásticos no Maracanã, contra: São Paulo, Boca e LDU.

O jogo no Maracanã começou promissor para a LDU, com um gol aos 5 minutos de jogo, que aumentou a vantagem para 3 gols. Esse panorama quase melhorou aos 11, quando Bolaños cruzou uma bola que Manso escorou para fora.

Um minuto depois Thiago Neves fez o primeiro gol do Fluiminense. A partir disso, a LDU renunciou ao seu jogo de velocidade nos contra-ataques e começou a dar chutões para frente, jogando desorganizada. Foi quando o camisa 10 do tricolor fez seu segundo gol em um erro crasso da defesa da LDU, que não marcou Cícero na cobrança de lateral de Júnior Cesár. Bolaños e Guerrón erravam tudo que tentavam, o primeiro abusando do individualismo e o segundo cavava e cometia faltas a todo lance.

O segundo tempo começou melhor ainda para o Fluminense, que voltou com o controverso Dodô em campo. Logo no início ele mandou uma bola na trave. Aos 12, Thiago Neves fez o seu terceiro de falta, do mesmo lugar onde Washington marcara contra o Boca, Conca contra a LDU em Quito e o mesmo Thiago fizera 2 em falhas de Diego, contra o Flamengo pela última rodada de classificação da Taça Guanabara 2008.

Depois do gol o jogo se estabilizou. A LDU colocou a cabeça no lugar e voltou a incomodar. Já o Fluminense começava a mostrar sinais de cansaço, e a jogada de maior perigo foi um chute prensado da LDU que parou na trave de Fernando Henrique.

Na prorrogação os dois times cadenciaram mais o ritmo, e salvo algumas chances, os times pareciam se contentar com os pênaltis, principalmente a LDU, que abusou da cera o jogo todo.

Nos pênaltis, o fraco goleiro Cevallos se consagrou. Os jogadores do Fluminense partiam para a bola com um semblante derrotista, olhos marejados, e acabaram disperdiçando 3 em 4 cobranças, com Conca, Thiago Neves e Washington. Coincidentemente, os três principais nomes do time na competição realizaram cobranças pífias. Cícero foi o único a converter. Pela LDU, Campos foi o único a desperdiçar. Marcaram: Urrutia, Salas e Guerrón. O placar final, foi o mesmo 3x1 que o time tinha imposto nos últimos três compromissos no Maracanã pela Libertadores, mas dessa vez os valores se inverteram.

O ponto fraco do Fluminense foi Washignton. O atacante perdeu um gol incrível após o gol dos equatorianos, mostrando que apesar da vontade e da sorte que o acompanharam na competição, ele não tem muita habilidade com a bola nos pés.

O juíz foi o fraco Héctor Baldassi, da Argentina. O mesmo que prejudicou o Flamengo contra o Defensor na Libertadortes 2007, truncando o jogo e permitindo que o time uruguaio gastesse o tempo. E que anulou erroneamente um gol do Santos no final da partida contra o América, lá no México, na Libertadores deste ano.

O "soprador de apíto" começou o jogo parecendo que queria prejudicar o Fluminense, deixou de marcar um pênalti, não tão escandaloso quanto se falou na TV, em Washington, na única boa jogada do atacante. Depois foi traído pelo bandeirinha, parando uma jogada de Cícero. Mas logo provou que erra porque é ruim mesmo, pois deixou de marcar várias faltas para os dois lados, permitiu cera dos equatorianos e anulou um gol legítimo da LDU, no segundo tempo da prorrogação, em erro do outro auxiliar.

Para a LDU e o Equador, um título para coroar a ascensão do futebol desse país. O time não jogou retrancado. Perdeu-se em alguns momentos, mas mostrou que não era a zebra que se pensava.

Para a torcida do Fluminense, fica a lição de respeitar todos os adversários, pois os tricolores cantaram em altos brados que o time era campeão, após a vitória sobre o Boca. Lição duramente aprendida pelo Flamengo diante do América-MEX, naquele que foi o pior dia da história do Flamengo.

Como flamenguista, estou aliviado com a perda do título pelo rival Fluminense. Pois não terei que aturar "zoação" da torcida tricolor. Que aliás, junto com seu técnico, fez questão de provocar o Flamengo após cada sucesso do time na competição. Mas também não me sinto no direito de esfregar esse revés na cara dos tricolores, pois não foi o Flamengo que ganhou esse jogo. Portanto amanhã acordo como se nada tivesse acontecido. Fato que não seria possível se o Fluminense ganhasse.



OBS: O reconhecimento da bela companha do Fluminense também seria feito em caso de vitória do tricolor, mesmo que isso me custasse aturá-los comemorar.

2 comentários:

Pocho disse...

mi link http://magliettemania.myblog.it

si se puede interscambiar, escribime un mensaje en mi blog...

saludos!

Zebrahead disse...

abandonou o barco veio???